Construção.

orçamento piscinas

Agora que recebeu os orçamentos para a piscina dos seus sonhos é importante conseguir comparar as características de cada um deles para que possa escolher a empresa que melhor corresponde às suas expectativas.

Os aspectos mais importantes a ter em conta podem ser organizados em 6 áreas:
1. Método de construção do tanque
2. Revestimento do tanque
3. Qualidade dos acessórios de tanque
4. Qualidade dos equipamentos da casa de máquinas
5. Extras não incluídos
6. Garantias

No método de construção do tanque é importante ter em conta a relação próxima deste campo com o tipo de revestimento a aplicar na piscina.
Nas piscinas de Liner e Tela Armada a questão da estanquidade não tem tanto relevo, pois o próprio revestimento ajuda a garanti-la. Nas piscinas de pastilha vítrea o mesmo já não sucede e o material das paredes e fundo do tanque, assim como da camada de impermeabilização e das colas e argamassas de acabamento, são determinantes para a correcta execução dos trabalhos de execução do tanque da piscina.

Como acabámos de referir os três principais tipos de revestimento para piscinas são o Liner, a Tela Armada e a Pastilha Vítrea. O Liner apresenta-se como a opção mais económica mas também a que tem mais desvantagens. A fraca  resistência ao corte, à abrasão química e à agressão solar são as principais fraquezas deste revestimento.
A Tela Armada é a solução com a melhor relação qualidade-preço. Além dos elevados índices de resistência às agressões e abrasões tem ainda a grande vantagem de ser conformado à piscina em obra, permitindo que seja aplicada em piscinas das mais variadas formas.
Nas piscinas revestidas com Pastilha Vítrea as opções estéticas são as mais variadas, sendo esta a sua maior vantagem. Como, só por si, este revestimento não garante a estanquidade do tanque deve ter-se o cuidado de garantir a aplicação de uma camada de impermeabilização.

A qualidade dos acessórios do tanque é uma parte muito importante da piscina, pois a sua substituição ou reparação pode obrigar a um esvaziamento parcial ou total da piscina, o que resulta numa despesa elevada, certamente superior à diferença do valor dos acessórios em si.

O mesmo raciocínio deve ser aplicado aos equipamentos da casa de máquinas, sendo que aqui o montante despendido não será na água mas sim no equipamento em si. Este valor será ainda maior se considerarmos que um equipamento defeituoso pode comprometer o funcionamento de todo o sistema e provocar a danos nos outros equipamentos.

Algumas empresas tendem a considerar como extras equipamentos e acessórios considerados básicos para a utilização confortável da piscina. Podemos incluir nestes equipamentos, por exemplo, um aspirador manual, os produtos químicos para a primeira correcção da água ou um simples kit para analise regular dessa água.

As garantias são um tópico de de extrema importância, pois apesar de ser obrigatório por lei garantir o que é vendido, muitas das vezes esta questão não é assim tão linear. Desde modelos que são rapidamente descontinuados e que tem de ser substituídos por outros de valor superior ou até marcas e empresas que deixam de estar presentes no mercado são situações que impedem os consumidores de exercerem os seus direitos.

Como conclusão o conselho que deixo reflecte o ditado popular “o barato sai caro”.
Numa piscina, sendo um equipamento que se pretende que tenha uma longa durabilidade, investir em marcas de renome e estáveis no mercado é a melhor opção para evitar complicações futuras.